Author Archives: edupereira

Trabalho CLT, Autônomo e PJ para Desenvolvedor

Recentemente muitas pessoas tem desejado o enquadramento da profissão de programador como MEI, Micro Empreendedor Individual. Por outro lado, na área é muito comum as empresas oferecem contratos como PJ, que são as Pessoas Jurídicas, ou seja, empresa que contrata empresa. Como no Brasil, tudo é muito bagunçado, vemos que a proposta inicial do MEI acabou ficando deturpada e hoje é usado mais para reduzir os números oficiais de desempregados que outra coisa. Além disso, a partir de 2018, pessoas que faturam até R$ 81.000,00 por ano poderão se enquadrar no MEI. Isso dá uma valor mensal de R$ 6.750,00. Levando isso em conta e considerando o salário médio para a área de TI em geral, para todo o território nacional, parece uma boa ser desenvolvedor com MEI.

Porém, as categorias de trabalho intelectuais, que é o caso de desenvolvimento de software, médico, advogado, engenheiro e outras profissões, não são enquadradas pelo MEI. Não vou entrar no ponto se devemos ou não enquadrar desenvolvimento como MEI, minha opinião pessoal é que não deveria. Mas vou abordar as outras opções que temos para trabalhar legalmente como programador.

Nesse caso as opções para trabalhar de forma legal como desenvolvedor são: Contrato sobre as Leis Trabalhistas (CLT), montar uma empresa (Pessoa Jurídica – PJ) ou trabalhar como Autônomo. Vamos focar aqui nas duas últimas opções.

Para entender, de forma geral, a diferença entre PJ e Autônomo, vou usar um texto de Saulo Heusi (disponível em http://www.contabeis.com.br/forum/topicos/5373/autonomo-ou-pessoa-juridica/ e acessado em 10/11/2017):

Pessoa Jurídica:
A empresa a ser constituída será exclusivamente prestadora de serviços.
Sendo tais serviços caracterizadamente de profissão regulamentada, não poderá optar pela tributação na sistemática do Simples Federal ou Nacional, no entanto pode perfeitamente fazê-lo pelo Lucro Presumido ou pelo Lucro Real.

Considerando que a tributação pelo Lucro Real só é vantajosa se as despesas forem em montante considerável e o lucro real (receitas menos despesas) for pequeno, a opção mais sensata será, sem dúvida, pela sistemática do Lucro Presumido.

Como o próprio nome sugere, nesta modalidade os impostos (IRPJ e CSLL) serão pagos com base em uma presunção de lucros e sobre esta presunção aplicar-se-á as alíquotas. Afora os impostos incidentes sobre o lucro (presumido) existem outros dois (PIS e COFINS) que incidem sobre o total da receita bruta, além (é claro) do ISS que é o imposto sobre os Serviços.

Percentuais e Alíquotas:
IRPJ – 32% x 15% = 4,8%
CSLL – 32% x 9% = 2,88%
PIS – 0,65%
COFINS – 3%

Total (Lucro Presumido) = 11,33% sobre a receita bruta

O ISS por ter suas alíquotas determinadas em Legislação Municipal, você deve consultar a Prefeitura de sua cidade. Tenha em conta que a alíquota máxima a ser cobrada será de 5% conforme dispõe a Lei Complementar 116/2003.

Pessoa Física
Na Pessoa Física a despeito de os profissionais liberais (de profissão regulamentada) poderem, via escrituração do Livro Caixa, deduzir as despesas e os gastos comprovadamente efetuados com o exercício da profissão, o saldo remanescente (receitas menos as despesas e demais deduções permitidas em lei) serão tributados as alíquotas de 15% até 27.912,00 e 27,5% se superiores a isto (na legislação atual).

Nota
Naturalmente a exposição acima tratou das duas tributações de forma generalizada, haja vista, que dependendo do valor do faturamento mensal (por exemplo) pode ser mais vantajoso tributar pela Pessoa Física ao invés de na Jurídica. Outros aspectos teriam que ser considerados (ainda) tais como custos com a constituição e manutenção da Pessoa Jurídica e etc.

Em ambos os caso PJ ou Autônomo, é preciso levar em conta que o trabalho deve permitir flexibilidade de horário e de local onde se pode trabalhar. A vantagem o PJ com relação ao autônomo é poder concorrer a licitações do governo. Porém, nesse caso é preciso emitir nota fiscal, e isso vai depender do local físico em que a empresa se encontra, entre outras coisas. A emissão de nota fiscal é uma burocracia a parte.

Assim, se uma vaga de trabalho for PJ ela também pode ser feita por um Autônomo, desde que não exija emissão de nota fiscal, mas apenas recibo de prestação de serviço. Vai compensar optar por um perfil ou por outro, dependendo da faixa valores que a empresa irá te pagar, além é claro da legislação da região em que você more. Observe também que nesse caso, a empresa não irá te pagar um salário, mas sim valores por prestação de serviço. Logo, ao trabalhar como PJ é importante avaliar o que a empresa espera de você, qual o perfil do projeto em que você estará envolvido e quais serão seus níveis de responsabilidade dentro da sua empresa e da empresa em que você irá prestar serviço.

Usar MEI , PJ ou autônomo para trabalhar como se tivesse vínculo empregatício, ou seja, trabalho em tempo integral, de segunda a sábado e ainda no espaço físico da empresa que te contratou, ao meu ver é mera prostituição, ou o trabalhador está tentando aplicar um golpe na empresa em que presta serviços. Esse é um dos motivos para a reforma trabalhista. Até recentemente, a pessoa acabava aceitando um contrato como PJ, para ganhar mais, só que ao mesmo tempo, exercia o trabalho como se tivesse vínculo. Ao final do contrato, o prestador de serviços processava a empresa e ganhava todos os direitos assegurados pela CLT, mais uma indenização. A reforma trabalhista surge então para tentar proteger as empresas desse tipo de golpe. Mas quem é que vai arcar com isso? Você vai deixar de receber direitos para poder preservar o patrão? E assim vai longe essa discussão.

Voltando ao ponto, entre PJ e autônomo. Ao meu ver, o objetivo de ser um profissional liberal é alcançar liberdade para ser seu próprio patrão, trabalhando em horários e locais flexíveis, buscando melhores oportunidades, ao ser capaz de prestar serviços para mais de uma empresa.

Como desenvolvedor acho que a melhor opção nesse caso é abrir uma sociedade anônima e trabalhar em equipe, com outros colegas. Porém falta um pouco de união da nossa classe profissional, além do que estamos acostumados a visão de trabalho tradicional, no qual um individuo está acostumado a receber uma ordem, executar uma tarefa e receber por isso. Temos pouco a visão de trabalho multifuncional e descentralizado. No qual tarefas são realizadas por equipes multidisciplinares.

Assim, ao criar um PJ não deveríamos pensar no eu como empresa, mas sim que podemos nos unir a outras pessoas para criar um negócio e reduzir os custos finais, ao compartilharmos ônus e bônus.

Não acho que precisamos de MEI para começar pequeno, o que precisamos mesmo é de união entre os profissionais da área para podermos ter condições dignas de trabalho.

Aqui cabe um clichê, começar pequeno e pensar grande. Mas começar pequeno não quer dizer aceitar qualquer coisa que nos ofereçam. Começar pequeno pode ser na verdade, juntar um grupo de amigos para abrir uma empresa e dividir os custos iniciais. Ao invés de trabalhar de forma solitária e se “prostituir” para o mercado de trabalho ao aceitar valores muito baixos de salário, podemos criar pequenas cooperações para ter um grande negócio no futuro.

Agora vamos comparar o trabalho autônomo e PJ com a CLT ( antes da reforma) tendo como base valores praticados no mercado.

Ganhar R$ 4000,00 como PJ ou R$ 2000,00 como CLT. Qual o melhor?

Minha experiência é a seguinte. O custos fixo do PJ é a soma de imposto mais contador. Temos de 15% a 20% de imposto mais salário mínimo de contador, que varia de R$ 400,00 a R$ 900,00, dependendo da região. Levando em conta só esses dois custos, o salário efetivo a receber fica por volta de R$ 2800,00.

Como autônomo, o valor sobre imposto de renda é menor, para essa faixa salarial, e se tiver dependente o leão leva menos ainda, além de não ter que pagar contador. Aqui os impostos são ISS, teto do INSS imposto de renda mais alguma outra coisa. Tudo isso descontado na fonte. Assim, o valor final que chega na sua mão deve ficar na casa de R$ 2800,00 e R$ 3100,00.

Levando em conta a alimentação e transporte e investimentos em previdência privada e algum seguro, para o caso de ficar doente, ou sofrer acidente, deve sobrar por volta de R$ 1500,00 a R$ 2300,00, dependo do plano que cada um assumir.

Masaqui você não tem férias, seguro desemprego e nem 13° ou horas extras. No melhor dos casos, o extra como autônomo deveria ser guardado para quando o contrato terminar e vc ficar a procura de outra coisa.

Trabalhar como PJ deveria ser uma opção de vida, no qual a pessoa que quer ser empreendedora bota corpo e alma para crescer pessoalmente e financeiramente. Mas a forma como está sendo colocada a reforma, ser PJ fica parecendo uma necessidade de sobrevivência.

O trabalho deveria ser no mínimo a forma que cada um tem para conseguir viver dignamente.

Nesse caso particular, para o trabalhador que ganha R$ 2000,00 como CLT pode ser mais vantajoso.

Agora, se como PJ você ganhar liberdade de horários e poder trabalhar onde quiser, pode ser mais vantajoso. Nós dois casos, o valor financeiro final acaba sendo equivalente. Embora a CLT ganhe de longe, ao acrescentar benefícios extras.

Mas se você for centrado, organizado e trabalhar por projeto, como PJ você pode ir pra praia no meio da semana. Mas realmente dá para achar mesmo que as novas vagas de PJ vão te dar essa liberdade mesmo?

No fim, cabe a cada um analisar qual seria a melhor opção. Só não teremos tantas escolhas assim daqui em diante.

Para saber mais sobre trabalho Autônomo veja: http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=4755

Mais sobre PJ:

https://exame.abril.com.br/carreira/proposta-indecorosa/

http://epocanegocios.globo.com/Carreira/noticia/2017/04/pj-o-que-e-permitido-segundo-lei-e-como-funciona.html

O papel das carreiras no mundo dominado pela Inteligência Artificial

Ao falarmos sobre o processo de automação e a evolução da Inteligência Artificial (IA), sempre pensamos que os serviços básicos de limpeza e transporte serão os primeiros a serem afetados. Imaginamos um mundo em que drones e carros autônomos viajam por ai realizando entregas e transportando passageiros. Mas ao meu ver, as primeiras carreiras mais afetadas serão aquelas que demandam do uso do pensamento analítico puro, com a resolução de casos baseados em problemas já preestabelecidos.

Para deixar mais claro isso, pergunto, quem é que nunca gastou um tempo enorme na fila de espera de um pronto socorro? Em seguida o médico te atende, talvez em pouco mais de cinco minutos e no final ele te diz que o que você tem é virose?

Imagine agora que exista um sistema capaz de reconhecer sua fala, que ao mesmo tempo é capaz de medir sua temperatura e pressão arterial. Também que esse sistema ao mesmo tempo é capaz de medir níveis de hormônio e outras substâncias apenas pela análise do cheiro e suor que exalam da sua pele. Um sistema capaz de cruzar esses dados com seu histórico médico regresso e o histórico de bilhões de pessoas no mundo. Avaliando os mais diversos casos e sintomas, conhecendo as incidências de doenças na sua região de acordo com a época do ano. Imagine que tudo isso é feito em tempo real, combinando análise de grande volumes de dados, o chamado Big Data, juntamente com uma IA capaz de levantar e cruzar todos esses dados.

Ao final do diagnóstico, o sistema envia para o seu smartphone todas as informações do problema de saúde mais provável que você esteja enfrentando, juntamente com a receita dos medicamentos. Além disso, esse sistema ficaria integrado com uma base de dados da previdência e farmácias. Com isso, poderia ser validado a sua receita e você só poderia comprar remédios de acordo com a prescrição.

Ai fica a questão, qual o papel do médico tradicional nesse cenário? E mais, quando é que esse tipo de serviço irá existir?

A primeira questão ainda é difícil de responder. Não é trivial pensar no papel do médico do futuro, pois isso envolve como essa classe irá reagir a essa evolução. Também em como se dará o processo de normalização e criação de leis para regulamentar esse tipo de serviço. Uma aposta minha é que provavelmente não teremos médicos IA residenciais. Se tivermos, provavelmente irão colocar o valor mensal dessa IA bem alto, principalmente no início, com taxas de impostos elevadas, muito mais para preservar e assegurar a classe médica existente do que outra coisa. Já para a questão de quando isso virá, basta pensarmos no caso dos escritórios de advocacia que já estão substituindo advogados por IA (veja mais sobre isso aqui).

O avanço do uso de placas gráficas, as chamadas GPU’s (Graphics Processing Unit – Unidade gráfica de processamento), para o processamento de IA cresceu muito. Também temos ao nosso alcance as ferramentas de Big Data como o Hadoop e o Spark, além é claro das tecnologias já preparadas em nuvens como o Watson da IBM, as ferramentas do Google Cloud, AWS e Microsoft Azure. Com o que temos disponível hoje, já é possível criar uma IA médica ambulatorial. Essa IA será capaz de ter uma taxa de acertos muito maior, sobre o diagnóstico do paciente, do que um médico tradicional humano é capaz de fazer.

Pensando na interação com o mundo real, vemos que ainda existem certas dificuldades técnicas que precisam ser resolvidas. No caso de uma IA puramente analítica, o poder computacional poderá ser aumentado sem grandes dificuldades, bastando para isso colocar vários computadores operando juntos, como se fossem uma única unidade. Em geral é assim que funcionam os super computadores atuais, faz-se uma aglomerado (cluster em inglês) de máquinas que operam juntos.

Mas se paramos para analisar o caso de um carro autônomo, ou um robô humanoide, enfrentamos o fato de que não dá para mantermos os mesmos conectados em rede o tempo todo. E mais, não podemos ter atrasos nas repostas que a máquina deve dar para uma situação que esteja ocorrendo em tempo real. Nesse caso, começamos a ter limitantes físicos. Assim, para termos um mundo de máquinas autônomas verdadeiramente inteligentes ainda temos que superar a barreira de se ter um supercomputador em uma escala bem menor. Nesse caso, novamente, começamos a ver o papel das GPU’s e sua aplicação em veículos autônomos, com dado pela parceria entre a Tesla e a Nvidia.

Ao final, as mais diversas profissões serão afetadas pelo avanço da inteligência artificial, não somente as profissões tidas como básicas e supostamente mais fáceis de serem automatizadas. E aqui vale ressaltar que essa não é mais uma realidade remota e sim uma revolução que está ocorrendo agora.

Trabalho de Linguagens Formais e Autômatos 2Bi.

Criar um Spider.

Usando a linguagem Python, e os módulos de expressões regulares e urllib, crie um programa que pegue o link de uma página web, encontre todas os links contidos nesse site (use expressão regular para isso). O programa deve ser capaz de acessar cada nova página a partir dos links encontrados no página anterior. Em seguida ele deve encontrar os novos links em cada nova página. O processo deve se repetir em no máximo cinco níveis.

Os links devem ser salvos em um arquivo txt.

O formato de salvar o arquivo deve ser:

link da página mãe:

lista de sub-links:

Abaixo segue um exemplo da estrutura de dados que o programa deve gerar:

pag. mae:

Uma Página

sublinks:

http://www.outrapagina.com

nivel 2

pag. mae:

http://www.outrapagina.com

sublink:

htttp://www.maisumapagina.com

 

 

Inovação

A inovação parece ter se tornado uma religião. As pessoas usam esse termo tendo em mente o esteriótipo do pesquisador que saiu correndo nú gritando Eureka. Como se de repente todo o universo, conspirando a seu favor, joga uma ideia brilhante na sua cabeça.

Inovar é técnica, e erros e acertos. Porém no mercado errar significa morte, não existe muita chance para erros. Daí surge o conceito de produto minimamente viável o tal MVP ( eu particularmente gostei mais dá visão de produto minimamente amavelmente). O MVP tem o papel de minimizar os estragos provocados por erros que surgem durante a jornada de inovação.

Inovação surge de Pesquisa e desenvolvimento tecnológico e isso demanda tempo. Entender anseios de mercado e consumo, seguindo para a modelagem de um produto diferente do que já existe é um processo long o que não se trilha sozinho. Precisamos dos designers, das pessoas de negócio, dos inventores e técnicos que vão lapidando ideias a fim de transformá-las em um produto.

A religião tem como base dogmas rígidos, a inovação surge do ato de moldar os pensamentos, sabendo que a cada instante tudo está em plena transformação.

Trabalho Segundo Bimestre de 2016, disciplina POOII .

O arquivo abaixo contém as instruções de como deve ser o trabalho para o segundo período.

Download (PDF, Unknown)

 

No arquivo abaixo tem o projeto que já foi previamente implementado em sala de aula.

Clique no arquivo, faça o download e use-o como modelo para o seu projeto. No netbeans, basta importar o zip para ter acesso a todas as informações necessárias:

CarrinhoDeCompras

Abaixo está uma video aula sobre o desenvolvimento dirigido por testes aplicado ao desenvolvimento do sistema de carrinho de compras. Nela tem detalhes que foram apresentados em sala de aula. Com a video aula o aluno terá uma material para revisar enquanto faz o trabalho final.

Era da computação cognitiva

hitlerEstamos na era da computação cognitiva. Um exemplo disso é a criação automática de um Trailer para o filme chamado Morgan, que é um filme de suspense sobre o desenvolvimento de um sistema de inteligência artificial.

O trailer foi produzido automaticamente usando o sistema cognitivo da IBM chamado de Watson.

Eu pude conhecer mais de perto e até mesmo brincar um pouco com o Watson quando participei do Hackathon da IBM. Só para contextualizar, um Hackathon é uma maratona Hacker em que você passa um fim de semana sem dormir, rsrs, programando algo novo.

Estamos cada vez mais imersos nesse ambiente de computação cognitiva. Cada postagem em redes sociais, filmagens em bancos e aeroportos mapeiam nossos sentimentos e buscam fazer analise de nossas reações. Esse trailer é um exemplo disso. O Watson foi capaz de reconhecer, de acordo com as emoções passadas pelos atores quais seriam os picos de maior intensidade emocional durante o filme. Com isso ele fez um recorte das principais senas e montou o trailer final do filme.

Uma aplicação importante dessa  tecnologia é o monitoramento de possíveis atentados terroristas em centros metropolitanos. Câmeras de monitoramento fazem a analise em tempo real das pessoas e um sistema cognitivo como o Watson avalia se alguém está agindo de forma anormal, gerando um alerta para aquela pessoa e fazendo com que um departamento responsável possa tomar alguma atitude.

Uma outra aplicação de computação cognitiva, é a analise de sentimentos em postagem de rede social com base em geolocalização. Um projeto que estou trabalhando atualmente, e que já deverá ser lançado nas próximas semanas, envolve o mapeamento de sentimentos de postagens de redes sociais com base na geolocalização de onde o postagem foi realizado, com isso é possível mapear os sentimentos das pessoas para um determinado produto, serviço ou pessoas a partir de uma referência geográfica.

Estamos na era do Big Brother de George Orwell. Essa era  não ocorreu em 1984, mas até 2024 isso já deverá ser mais do que realidade. Iremos ter a combinação de Internet da Coisas, Big Data e Computação Cognitiva monitorando cada passo de nossas vidas, para o bem ou para o mal.

 

Abaixo está o trailer do filme:

 

 

 

Criação de icones para Android.

Algo extremamente importante para um aplicativo Android é o Launcher Icon (ALI – Android Launcher Icon).

O ALI é uma representação gráfica do seu aplicativo e são usados como atalhos para inicializar o aplicativo. São as imagens dos programas que aparecem na Home do seu aparelho Android.

Ao se criar o ALI é preciso ter em conta a variedade de dispositivos que irão usar o seu aplicativo. Cada aparelho apresenta resoluções de telas diferentes, por isso, na pasta res do projeto Android aparecem as pastas mipmap-XXX, sendo que o XXX indica a resolução da imagem.

Por exemplo a pasta mipmap-hdpi terá imagens com resolução de 240 dpi (Pontos por Polegada – Dot Per Inch) com tamanho de 72×72 pixeis. Já a pasta mipmap-xhdpi terão figuras com 320 dpi e tamanho de 96×96 pixeis, ou seja, uma resolução melhor.

Para facilitar a vida do desenvolvedor independente, temos a seguinte ferramenta online, que só funciona no Google Crhome (Seja livre, use a versão open-source chamada Google Chromium) e pode ser acessada ao Clicar Aqui.

No vídeo abaixo é apresentado o uso dessa ferramenta.

Boa sorte em seus estudos.

Até a próxima.